Verso

2021

A arte teve como proposta a reflexão sobre o tema da experiência de si. O conceito da obra permeia o que é definido pelas frustrações cotidianas e pela intensa sensação de exaustão, vivendo cada dia como se já estivesse morto. A artista ainda acrescenta uma animação que passa no interior do seu tronco, representando a angústia que nela se instala. As nuvens que vão com a respiração trazem um conforto, em contradição quando o tempo se fecha no nosso interior, que nos impede de respirar, de engolir e de seguir em frente.

A video-performance teve como inspiração os trabalhos de Juliana Notari e Daniela Paoliello, após uma roda de conversa com a preseça de Cristina Salgado e Analu Cunha. As obras das duas apresentaram uma interação com corpos nus diante da proposta que queriam abordar, seus corpos se entregava à suas artes.

O corpo da artista sempre se fez presente no que diz respeito à identidade da artista, pois o físico foi sua preocupação durante muitos anos: mantê-lo em movimento, mantê-lo forte, mantê-lo destruído, mantê-lo exausto. O poema recitado é A Arte de se Esvaziar, de Rupi Kaur, que pode ser encontrado no livro Outros Jeitos de Usar a Boca. O tema principal da videoarte surge a partir desse sentimento melancólico presente na vida de Julia Esquerdo, a partir do momento que foi muitas vezes massacrada pelo seu redor, com ações afirmativas de que ela não era ninguém de fato importante.

A música está relacionada a um tom clássico, essencial para quem está inserido no mundo do ballet clássico. Essa música, em específico, faz parte da série Dark Piano e tem seu nome Fear (medo), o que faz total relação com a obra em si.

 

"Quem nunca sentiu medo de não ser ninguém? Não de fato alguém famoso ou totalmente influente, mas alguém para si mesmo. Tenho isso todos os dias. A maior parte desse sentimento surgiu no total de 15 anos de ballet clássico, com essas músicas delicadas cortadas por palavras ríspidas, que me faziam perguntar: Por que continuo aqui se não sou nada?"

Art had as its proposal the reflection on the theme of the experience of oneself. The concept of the work permeates what is defined by everyday frustrations and the intense feeling of exhaustion, living each day as if it were already dead. The artist also adds an animation that passes inside her trunk, representing the anguish that settles in her. The clouds that go with the breath bring comfort, in contradiction when time closes inside us, which prevents us from breathing, swallowing and moving on.

The video performance was inspired by the works of Juliana Notari and Daniela Paoliello, after a round of conversation with Cristina Salgado and Analu Cunha. The works of the two presented an interaction with naked bodies in light of the proposal they wanted to address, their bodies surrendered to their arts.

The artist's body has always been present with regard to the artist's identity, as the physical was her concern for many years: keeping it moving, keeping it strong, keeping it destroyed, keeping it exhausted. The poem recited is The Art of Emptying, by Rupi Kaur, which can be found in the book Other Ways of Using Your Mouth. The main theme of video art arises from this melancholy feeling present in Julia Esquerdo's life, from the moment she was often massacred around her, with affirmative actions that she was not really important.

The music is related to a classic tone, essential for those who are inserted in the world of classical ballet. This song, in particular, is part of the Dark Piano series and has its name Fear, which is totally related to the work itself.

 

"Who hasn't ever been afraid of being nobody? Not really someone famous or totally influential, but someone to himself. I have that every day. Most of that feeling came from 15 years of classical ballet in total, with these delicate songs cut off by harsh words that made me ask: 'Why am I still here if I'm nothing?'

O processo de Verso

Por Julia Esquerdo

Verso foi filmado com o dorso nu exibindo um grande retângulo verde feito de tinta guache. Na edição, esse verde seria usado para realocar a animação pelo processo conhecido como croma key. A animação stop motion foi feita com 47 desenhos diferentes para poder dar essa noção de movimento contínuo.

Verso (Verse) was shot with a bare back showing a large green rectangle made of gouache paint. In editing, this green would be used to relocate the animation by the process known as the chroma key. The stop motion animation was made with 47 different drawings in order to give this notion of continuous movement.